Nosso Cinema

A melhor fonte de críticas de cinema

“BIG LITTLE LIES” [2×02] – A presença incontornável do passado

* Este texto se refere ao SEGUNDO EPISÓDIO da SEGUNDA TEMPORADA da série. Clique aqui para ler o texto do primeiro episódio.

Em comparação com o episódio anterior, “Tell tale hearts” direciona a trama do novo ano da série para caminhos mais claros e define com maior clareza os conflitos que percorrerão os arcos das cinco mulheres envolvida na morte de Perry. No capítulo lançado na noite de ontem, uma questão perpassou todos os personagens apresentados: o peso do passado sob a forma de segredos e mentiras que, invariavelmente, atinge os moradores daquela comunidade. Não conseguindo contornar, amenizar ou controlar as marcas e traumas deixados por outros tempos, as consequências extravasam de forma intensa.

Cartaz da segunda temporada de “Big little lies

Tendo como base os desdobramentos negativos provenientes das tentativas de esconder o passado, a morte do personagem de Alexander Skarsgård repercute em diversas pessoas, mostrando mais claramente como esse fato poderá se desenvolver até o fim da temporada. Por exemplo, Bonnie e Celeste: a primeira continua estranha e se isolando do convívio social por ter pesadelos com o fato de ter empurrado Perry escada abaixo (em um momento em que caminha pelo acostamento de uma estrada é questionada por Madeline se está drogada), o que a faz passar por uma crise no casamento ao se distanciar de Nathan e ver sua mãe chegar em sua casa a pedido do marido para ajudá-lo a entender o que se passa com a esposa – mesmo assim, Bonnie segue irredutível sem se abrir com ninguém (levantando um muro como sua mãe diz); e a segunda se desdobra entre lidar com seus problemas internos e o amor que ainda sente por Perry, indo a uma terapeuta, conviver com a difícil sogra que está sempre à espreita investigando o que ocorreu com seu filho e ainda cuidar dos filhos que precisam falar da morte do pai.

Os segredos do passado não se resumem apenas ao trágico fim de Perry, mas também se referem aos impactos que as atitudes dos pais têm sobre os filhos e as famílias em geral. Além das mulheres já citadas, Jane descobre que seu filho já sabe a identidade do pai e precisa contar como a gravidez dela esteve associada a uma agressão; algo semelhante se passa com Celeste, que precisa dizer aos dois filhos que eles têm um irmão e incentivá-los a conviver com o, até então colega de escola, agora como um parente direto – nesse arco será interessante perceber como Jane e Celeste agirão com seus filhos a respeito dos inesperados laços formados entre eles; e Madeline sofre uma com a possibilidade de ter seu casamento terminado por não revelar ao marido segredos que guardava sobre suas amigas e sua própria infidelidade. Especialmente nos casos de Bonnie, Celeste e Jane, a irrupção de fatos do passado vem através de flashs incontroláveis e abruptos de algo que tentavam esquecer – palmas, nesse sentido, pelo trabalho de montagem que entrelaça o presente aos breves flashbacks.

Mesmo não tendo tanto tempo de tela, Renata e Mary Louise possuem seus próprios arcos em formação ou em desenvolvimento. No caso de Renata, um conflito paralelo à trama central entra em sua vida quando seu marido é preso por acusação de fraude e operações financeiras ilegais, gerando o temor de que ela perca todo o seu dinheiro e volte a ser pobre (tormento que se liga às lembranças que carrega de um passado difícil). No caso de Mary Louise, a influência do passado também se faz presente quando a senhora ouve de Celeste que Perry a agredia constantemente e estuprou Jane tempos atrás, pois a mãe se recusa a aceitar que a imagem idealizada que criou do filho não seja verdadeira – em bela performance de Meryl Streep, a personagem questiona Celeste quanto à crueldade de manchar a memória de Perry e ao fato de nunca ter ido à polícia denunciar o marido.

Em todos os arcos das cinco mulheres, com a adição de Mary Louise, os segredos e as mentiras guardados do passado estão vindo à tona para dar novos rumos às investigações da morte de Perry e abalar as relações familiares. Essa é a essência de “Big little lies” e das promessas para um quente terceiro episódio.

Um resultado de todos os filmes que já viu.